segunda-feira, 25 de maio de 2009

Meu...

...



34 comentários:

Momentos disse...

É assim mesmo!!
beijo

Lost in Temptation disse...

Teu... quando o desejares

Beijo-te

Casanova disse...

Quem?



Eu?



Sempreeeeeeeeeeeeeeeeeee!



Bacio principessa

Essência disse...

Posse?!




...

LBardo disse...

ai, ai os pronomes pessoais...






bj.do meu parapeito





PS. as letrinhas de verificação servem para afastar indesejáveis comments de spam... :)

A Princesa disse...

... e o resto é conversa!!! ;)

Bjs

Ácido Cloridrix HCL disse...

Bela musica miuda, uau!!! Acho que vou aproveitar p colocar lá no meu estaminé um dia destes,,, posso??? Beijocas,,, HCL

BlackQuartzo disse...

...por direito.
...por obrigação.

...por DESEJO!


beijo

Lalisca disse...

Momentos se é!!

beijo

Lalisca disse...

Lost in Temptation...sempre!!


beijos...

Lalisca disse...

Casanova, sim tu...;))


beijos...

Lalisca disse...

Essência de ti!;))


beijos...

Lalisca disse...

Lbardo a mim o que é meu!!

beijinho

Lalisca disse...

Princesa da boa!!

beijinho

Lalisca disse...

Acido força amigo!!

beijinhos

Lalisca disse...

Blakquartzo...por tudo!!

beijinho

T disse...

Teu
Teu
Teu


TEU! ;)

beijos e abraços meus e do S. para ti e para o TEU :)

Luna disse...

De regresso, reparo que o bom gosto continua a imperar por aqui.
Bjs de Lua Cheia.

Lalisca disse...

T totalmente retribuidos acrescento só mais um beijo!!

Lalisca disse...

Luna bem vinda, tenta-se pelo menos!


beijinho

Corvo Negro disse...

Teu... demónio envergonhado!
Outrora, romântico guia nos canais de Veneza.
Não ligues... disparaste a minha imaginação.
Já estava a visualizar o rapazito com uma dquelas t-shirts ás riscas - simbolo de uma submissão digna dos mais reconditos requintes (caprichos esfomeados) de um vocábulo unisexo.




Existe aqui, uma energia bruta que me intriga (confesso-te).

Lalisca disse...

Corvo Negro o autrora ainda reside...
Sente-te plenamente à vontade de dividires vocábulos sem tempo ou espaço ...aqui pode-se tudo!
E se fôr a vontade de fazer valer essa força bruta que te intriga...intriguemo-nos então, porque requintes eu tenho muitos!Daqueles recôndidos como mencionas!
E já agora, submeto-te à permanência...


beijos

Corvo Negro disse...

Ora... como me disse uma vez uma cigana: be careful with what you wish cause it may come true.







(a cigana não era portuguesa mas, pouco interessa)
;)

LBardo disse...

Bom fds.

Hot


bj.do meu parapeito

Lalisca disse...

Corvo Negro,

... creio em tudo o que quero! e quero tudo em que creio...




beijos;)

Lalisca disse...

Lbardo,

too damn hot!!

beijos

Corvo Negro disse...

Uma resposta absolutista como a tua não me remete de aforma alguma ao limbo da dúvida.







Gosto. Agrada-me uma alma tão... desperta quanto decidida.
:)

Lalisca disse...

Corvo Negro,
Fico feliz, apesar de achar que da dúvida nasce a busca, e da busca a certeza.

Quanto maior fôr a dúvida, melhor será a busca...reservo-me no direito de não te falar na certeza!

Permanece, acho que vais gostar ainda mais!

beijos;)

LBardo disse...

Olha... refrescou.
O tempo claro.

;)



bj.do meu parapeito

Corvo Negro disse...

Plenamente de acordo com a tua afirmação.
Inegavelmente.







Ainda assim, eu também conheço muitos segredos que não o são.
Há muito que estou ciente da repetição do arquétipo e, coisa garantida é o facto de não temer pensar.
Não nego que a duvida é o que mais me faz procurar, assim como não nego a assídua perspectiva da surpresa enquanto efeito.

Não me fales da certeza. Essa, pretendo-a tão silenciosa quanto ágil te antevejo no que consegues.

Lalisca disse...

Corvo Negro,

silêncio será sempre um tema a discutir entre nós!
Apesar de silenciosa gosto dos meus gritos...
Proponho-te que não morras na certeza já que a dúvida te injecta a mente... e é tão quando e como se agita...

mas uma coisa eu te digo: audaciosamente não me sustenho sem relembrar-te que até a mais fidedigna repetição é idêntica à que viste anteriormente.

beijos

Lalisca disse...

LBardo...não aqui!

beijos

Corvo Negro disse...

Daria em doido, caso me lembrasse constantemente do que me propões lembrar.







É util esquecer-mos temporariamente. Sempre justificamos de alguma forma a perspectivação do deja-vu.

Eu imagino.... o romper deste silêncio dual.
:)

Lalisca disse...

Corvo Negro,
Dar em doido pode ser muito bom,nem que seja temporariamente como referes...


Deixa a imaginação fluir solta, é para isso que ela serve...fluir!

Agora por deja-vu(s) desejo que por aqui encontres mais que repetições mas alguem que se considera Única na sua dualidade!


beijos